FANDOM


Tomar-Re
Tomar-Re

Primeira Aparição

Na Noite Mais Densa Parte 1

Parentesco

pai desconhecido (falecido); Tomar-Tu (filho); Betah (sobrinha)

Estado

Morto

Tomar-Re é um personagem fictício da DC Comics, e um dos membros da Tropa dos Lanternas Verdes, Originário do planeta Xudar, sistema Xeno, setor 2813, Criado por John Broome e Gil Kane, em (Green Lantern 6) - 1961

AparênciaEditar

Corpo humanóide; pequenas asas pressionadas contra suas costas, por debaixo do uniforme; pele alaranjada; grandes olhos alaranjados; crista semelhante à espinha de peixe como couro cabeludo e órgão externo de comunicação semelhante a bico.

HistóriaEditar

Trabalhava como cientista em Xudar, antes de ser abordado pelos Guardiões do Universo para ser o Lanterna Verde do setor 2813.

Sua 1ª missão após formado, foi salvar a população de Krypton da extinção. Descobriu-se que o planeta explodiria, devido a instabilidade radioativa no núcleo do planeta. Devido a impossibilidade de reverter o processo do planeta, e da evacuação dos nativos não ser uma opção, por causa da proteção exercida pelo "Erradicador", um dispositivo criado há 250.000 anos como uma arma contra intervenção alienígena. Tomar-Re descobriu que um certo elemento raro em seu setor, chamado "stelarium", era capaz de absorver a radiação do planeta. Este elemento foi encontrado em quantidade suficiente na estrela Ariel, no sistema homônimo. Contudo, Tomar-Re não fora informado da instabilidade de Ariel. A estrela tornou-se uma nova, com a retirada dos elementos e sua explosão não destruiu o Lanterna Verde, devido a proteção do anel, mas deixou-o temporariamente cego. Mesmo cego, ele navegou até o local de Krypton, mas não chegou a tempo de salvar o planeta. Recobrou sua visão em tempo de assistir a explosão do planeta.

Em Xudar, inventou o "Comunicador de Raios-Zathon", utilizado para informar ao Lanterna Verde desde Xudar, todos os desastres nos planetas de seu setor.

Em Oa, participou, junto com a Tropa, do combate contra Legião. Acessou o Livro de Oa, junto com Sallak e o recruta Hal Jordan, para obter informações sobre a orígem da ameaça.

Em Oa, liderou a investigação que constatou o abuso de poder de Sinestro, Lanterna Verde do setor 1417. Posteriormente, fora o promotor de justiça contra Sinestro, em seu julgamento. Apresentou a jovem korugariana lider da rebelião Katma-Tui como testemunha-chave contra o infrator. Após a condenação de Sinestro ao Universo de Anti-matéria de Qward, Tomar-Re a indicou para ser sua substituta como Lanterna Verde do setor 1417.

Em Xudar, ao detectar pelos Raios Zathon uma ameaça no planeta Aku e outra ao mesmo tempo em seu próprio planeta, convocou Hal Jordan, do setor vizinho 2814 a auxiliá-lo, debelando uma das ameaças, enquanto ele lutava contra a invasão de monstros espaciais em Xudar.

Participou da reunião oficial entre os membros da Tropa dos Lanternas Verdes em Yquem.

Participou do julgamento de Hal Jordan em Yquem, como líder do júri de Lanternas Verdes encarregado pelos Guardiões de julgar os feitos de Jordan.

Desde Xudar, Tomar-Re contata Hal Jordan para avisá-lo da aproximação de uma perigosa cosmo-tempestade e aproveita para orientá-lo num combate contra o vilão Sonar.

Teletrasporta Hal Jordan até Xudar para auxiliá-lo a combater a Energia Atômica Trocada.

Convocado a Oa com o restante da Tropa dos Lanternas Verdes para testemunhar a suposta morte de Hal Jordan, assassinado por Dr. Polaris.

Compôs o grupo da Tropa dos Lanternas Verdes que segiu até o planeta-prisão de Gmane para conter uma rebelião de presos que já havia assassinado 13 Lanternas Verdes. Ao enfrentar um criminoso xurariano, é revelado que sua raça possui asas nas costas para voarem, somente em caso extremo.